loading…

Alameda Providencia

Ico-arrow_left Ico-arrow_right    

Acesse o livro digital sobre o projeto aqui

A ação pública infraestrutural como ação de desenvolvimento urbano

As ações de desenvolvimento urbano, suporte para o desenvolvimento econômico e social da cidade, pressupõem uma associação entre a ação sobre a estrutura urbana pública e a dinâmica de uso do solo.

Esse tipo de associação é fundamental, principalmente dentro do processo de desenvolvimento urbano de áreas de centralidade como o Eixo Alameda, o coração da Região Metropolitana de Santiago, onde a grande dinâmica de circulação de pessoas, que demanda sistemas de transporte e espaços públicos, está diretamente relacionada ao uso do solo.

Portanto, a ação pública infraestrutural no Eixo Alameda, com a implantação do novo corredor de transporte público e a requalificação dos espaços públicos, deve servir como suporte para a consolidação dos usos e atividades existentes em Providencia e no Setor Central, e para a indução de novos usos e atividades em direção à Pajaritos, onde há potencial para o desenvolvimento de um novo polo de empregos, aproveitando o adensamento populacional, a localização estratégica, os equipamentos regionais e a disponibilidade de áreas para transformação, além da infraestrutura de transporte público instalada e prevista, de forma a consolidar o caráter metropolitano desta Centralidade ao longo de toda a sua extensão, desde o Oriente até o Poniente.

Premissas e critérios de ação por setor

O processo de definição das premissas e critérios de ação sobre o sistema de circulação e de espaços livres ao longo da Centralidade Metropolitana do Eixo Alameda considerou três ações principais:
a. COMPREENDER a estrutura física, a dinâmica de circulação atrelada ao uso do solo atual e o potencial de desenvolvimento futuro de cada setor e seus tramos, de forma a identificar a necessidade e o tipo de ação específica em cada um deles.
b. PRIORIZAR os elementos e as dinâmicas que deverão ser consolidadas ou renovadas em cada setor relativamente à capacidade e eficiência do novo sistema de transporte público e a possibilidade de requalificação do espaço público.
c. DAR LEGIBILIDADE às ações públicas propostas ao longo de toda a Centralidade, desde o Oriente até o Poniente, por meio da constituição de um sistema de circulação que integra os sistemas de transporte público existentes e previstos, ciclovias, vias peatonais, largos, praças e parques, em um conjunto definidor da unidade do Eixo Alameda.

Local:
Santiago, Chile

Data:
2015

Cliente:
Gobierno Regional Metropolitano de Santiago

Extensão da intervenção:
12 km

Concurso:
Concurso Internacional, Menção Honrosa

Arquitetura e Urbanismo:
VIGLIECCA&ASSOC
Héctor Vigliecca, Luciene Quel, Caroline Bertoldi, Carlos Collet, Carolina Passos, Cintia Castro, Flavia Tenan, Leandro Leão, Luiz Marino, Marcela Ferreira, Melissa Ramos, Pedro Ichimaru, Pía Gamboa, Paulo Serra, Luci Maie.

Engenharia de Transporte:
TTC
Francisco Moreno Neto, Lucimar Maschio Cardone, Silvia Rosa Domingues, Felipe Costa Furuyama; Sônia Maria Alexandria de Araújo, Gustavo Alexandria Santana (apoio técnico)

Perspectivas:
Bhakta Krpa

Bannersite8d

just a font pre-loader...